Assaltos e linchamentos dificultam resgates e desafiam autoridades no RS

Voluntários nos resgates em Canoas e São Leopoldo estão saindo armados para se proteger

Assaltos e linchamentos estão causando problemas nos esforços de resgate no Rio Grande do Sul (RS). Voluntários que participam das operações de resgate nas áreas de Canoas e São Leopoldo agora estão carregando espingardas como medida de dissuasão contra potenciais criminosos.

A polícia registrou uma série de furtos e assaltos à mão armada em áreas alagadas da capital, Porto Alegre, assim como nas cidades vizinhas de Canoas, São Leopoldo e Sapucaia do Sul. Os criminosos estão utilizando motos aquáticas e aproveitando a escuridão da cidade, que ficou sem energia elétrica.

No domingo, a Brigada Militar prendeu dois homens que abordaram um barco de resgate cheio de desabrigados. Além disso, houve o registro do furto de dois barcos. Os voluntários de resgate começaram a portar espingardas para se protegerem.

O comandante-geral da Brigada Militar afirmou que estão utilizando todos os recursos disponíveis, inclusive cancelando férias por tempo indeterminado, para lidar com a situação. As autoridades já detiveram suspeitos e recuperaram uma das embarcações roubadas, continuando a busca pelo terceiro suspeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco