Cantora Gospel Relata Revista no Cabelo em aeroportorto e Infraero contesta em nota

Após deletar suas publicações iniciais, Luciane Dom comentou que nem sempre os episódios de racismo são captados em câmeras

Uma artista gospel denunciou hoje nas redes sociais um episódio de discriminação racial ao passar por uma revista de segurança no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Luciane Dom, que se preparava para embarcar rumo a São Paulo, compartilhou sua experiência:

“Ao chegar no aeroporto Santos Dumont, fui parada para uma ‘revista aleatória’ minutos antes do embarque. A funcionária me disse ‘tenho que olhar seu cabelo’. Olhei para ela, aterrorizada com a violência desse ato. Ela chamou o superior. Meu dia acabou”, desabafou.

Luciane expressou pesar pela recorrência dessas situações para pessoas negras:

“As coisas nunca são suaves para pessoas como eu. Queria pelo menos ter ânimo para continuar divulgando meu trabalho e falando sobre o que estava compartilhando durante a semana. Queria estar leve, mas não estou”, afirmou.

A Infraero contestou a acusação de racismo em uma nota divulgada nas redes sociais, afirmando que, após análise das câmeras de segurança, não houve revista no cabelo de Luciane. A cantora apagou a denúncia após o posicionamento da empresa.


A nota da Infraero esclareceu que a cantora foi selecionada aleatoriamente para uma inspeção manual, e as imagens de câmeras não foram divulgadas de acordo com as normas da ANAC. A empresa também explicou os procedimentos de inspeção aleatória, ressaltando que são independentes de características pessoais do passageiro.

Após deletar suas publicações iniciais, Luciane comentou a nota da Infraero, reforçando a vivência do racismo cotidiano que nem sempre é captado por câmeras de segurança e pediu o fim do assédio e reprodução dessa violência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco