Pela primeira vez na história, ocorre fuga de presos no sistema penitenciário federal brasileiro

Desafios emergem em Mossoró enquanto as autoridades buscam recapturar fugitivos ligados ao Comando Vermelho

Dois presos fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) nesta quarta-feira (14), marcando a primeira fuga registrada na história do sistema penitenciário federal, que possui cinco presídios de segurança máxima.

Os fugitivos, identificados como Rogério da Silva Mendonça, conhecido como Querubim, Chapa, Cabeça de Martelo ou Martelo, e Deibson Cabral Nascimento, também conhecido como Tatu, Deisinho ou Deicinho, são ligados ao Comando Vermelho.

A fuga foi detectada pelo setor de inteligência, desencadeando um alerta para todos os policiais penais. Ambos os presos estavam na penitenciária desde setembro de 2023, após uma rebelião no presídio de segurança máxima Antônio Amaro, em Rio Branco, que resultou na morte de cinco detentos, três deles decapitados.

A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Norte recebeu solicitação de apoio para recaptura dos fugitivos, e a Secretaria de Administração Penitenciária do estado está colaborando nas operações de busca. A Polícia Federal foi acionada para participar da recaptura e investigar as responsabilidades.

Além disso, o secretário André Garcia, da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), está a caminho de Mossoró. O Sistema Penitenciário Federal, desde sua criação, nunca havia registrado fuga, rebelião ou entrada de materiais ilícitos em suas unidades, mantendo rigorosa aplicação da Lei de Execuções Penais.

Este episódio destaca o histórico de problemas nos presídios estaduais do Rio Grande do Norte, incluindo o Massacre de Alcaçuz em 2017 e uma série de ataques orquestrados por facções criminosas em março de 2023, motivados pela suspensão de “regalias” aos detentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco