Policía Federal descobre elo financeiro do CV e do PCC na PGR

Servidor do MPF com acesso a documentos sigilosos recebe pagamentos de armas e drogas através de empresa

A Operação Dakovo, conduzida pela Polícia Federal, visa não apenas membros do PCC e do Comando Vermelho, mas também um analista processual do Ministério Público Federal, Wagner Vinicius de Oliveira Miranda. Ele é suspeito de integrar o ‘núcleo financeiro’ de uma quadrilha envolvida no tráfico internacional de armas, desmantelada pela operação.

Miranda é apontado como ligado a operações entre uma empresa da qual é sócio e outra controlada por Angel Antonio Flecha Barrios, intermediário da quadrilha que abastecia facções brasileiras na fronteira com o Paraguai. A Justiça Federal da Bahia autorizou a busca na casa de Miranda e seu afastamento cautelar da Procuradoria-Geral da República por 30 dias, considerando o livre acesso do servidor a informações sensíveis.

Investigações revelaram que Wagner tinha cadastro ativo nos sistemas do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com acesso a processos, incluindo os sigilosos. Ele é listado como envolvido em operações financeiras relacionadas a Angel, sendo sócio de empresas, incluindo uma considerada de fachada pela PF.

A análise de dados de Angel mostrou conversas sobre tráfico de armas e drogas, onde Wagner, identificado como “Hevert”, realizou transferências bancárias suspeitas para contas associadas a Angel. Entre 12 e 19 de julho de 2022, “Hevert” enviou comprovantes bancários com transferências que chegam a R$ 53.000 da conta da Bravo Brasil – Iphones Ltda para as contas da DDM Aviação Ltda e David Carlos Ferreira Ltda, usadas por Angel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco