Carga pesada: Flávio Dino utilizou aeronave da FAB em mais de 60 ocasiões em 8 meses

O ministro da Justiça realizou não menos que 64 voos utilizando aeronaves da FAB

No Brasil, a utilização de recursos públicos por parte dos membros do governo sempre foi um tema de interesse e debate. Recentemente, informações obtidas pelo Farol Diário a partir dos registros da Força Aérea Brasileira (FAB) revelam como alguns ministros não hesitam em fazer uso das regalias oferecidas pela instituição para suas viagens oficiais.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), se destaca nesse cenário, aproveitando da prerrogativa de utilizar jatos da FAB para seus deslocamentos. De acordo com os registros disponíveis, Dino realizou não menos que 64 voos utilizando aeronaves da FAB. Essa cifra impressionante chama a atenção para a frequência com que o ministro opta por essa forma de transporte.

Logo atrás de Flávio Dino, encontra-se o ministro da Integração, Waldez Goés, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que fez uso dos jatos da FAB em 59 ocasiões. O padrão de deslocamento desses dois ministros sugere uma tendência de utilizar os recursos da FAB como parte de sua rotina de viagens.

No entanto, as escolhas de viagem não se limitam aos ministros mencionados. Camilo Santana, membro do Partido dos Trabalhadores (PT) e ministro da Educação, solicitou a FAB em 51 ocasiões. Nísia Trindade, responsável pela pasta da Saúde, também integra a lista, com 50 viagens aéreas realizadas utilizando os recursos disponíveis.

Além dos ministros, figuras próximas ao governo também fazem uso dos jatos da FAB. Márcio Macedo, o secretário-geral de Lula, ex-presidente e líder influente, fez uso dessas aeronaves em 49 ocasiões. Fernando Haddad, que ocupa a pasta da Fazenda, também optou pelo transporte aéreo fornecido pela FAB em 47 situações.

Esses números lançam luz sobre a maneira como os membros do governo estão utilizando os recursos públicos para suas viagens, ressaltando a importância de um debate transparente sobre os critérios que orientam essas decisões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco