Chefe da Casa Civil de Lula é implicado em fraude na compra de respiradores na Bahia

De acordo com uma delatora, o então governador Rui Costa autorizou um contrato de R$ 48 milhões para a aquisição de respiradores que não foram entregues durante a pandemia

De acordo com informações divulgadas pelo UOL, O ex-governador Rui Costa está sob suspeita em relação a um contrato de R$ 48 milhões para a compra de respiradores na Bahia durante a pandemia. Uma delatora revelou que a empresa contratada não cumpriu com a entrega dos equipamentos e parte do dinheiro foi direcionada a intermediários ligados ao governo.

A Polícia Federal está investigando se esses pagamentos podem ter sido propinas destinadas a agentes públicos. É importante ressaltar que a empresa contratada, Hempcare, não possuía experiência prévia na importação de respiradores, o que levanta questões sobre a escolha da mesma para o contrato.

Rui Costa nega veementemente qualquer envolvimento, declarando que nunca esteve diretamente envolvido em discussões sobre a aquisição de equipamentos de saúde. Ele argumenta que o pagamento adiantado era uma prática comum durante a pandemia, em linha com as práticas adotadas por outros estados e municípios.

O ex-governador expressa o desejo de que as investigações continuem e que qualquer desvio de dinheiro público seja punido, com a devida restituição aos cofres públicos mediante decisão judicial.

Leia a nota na íntegra:

“O ex-governador nunca tratou com nenhum preposto ou intermediário sobre a questão das compras deste e de qualquer outro equipamento de saúde. Durante a pandemia, as compras realizadas por estados e municípios no Brasil e no mundo inteiro foram feitas com pagamento antecipado. Esta era a condição vigente naquele momento. O ex-governador Rui Costa deseja que a investigação prossiga e que os responsáveis pelo desvio do dinheiro público sejam devidamente punidos e haja determinação judicial para ressarcimento do erário público”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco