Coreia do Norte condena jovens a trabalhos forçados por assistirem a K-dramas

Imagens raras revelam rigor crescente: sentença pública, endereços expostos e advertências contra qualquer produção sul-coreana na ditadura norte-coreana

Imagens raras da Coreia do Norte, gravadas em 2022 e obtidas pela BBC Korean, mostram dois adolescentes de 16 anos sendo sentenciados publicamente a 12 anos de trabalho árduo por assistir a séries sul-coreanas. As cenas revelam os jovens algemados diante de centenas de estudantes em um estádio ao ar livre, enquanto oficiais fardados os repreendem por não “refletirem profundamente sobre seus erros”.

O vídeo, fornecido pelo Instituto de Desenvolvimento Sul e Norte (Sand), indica uma postura mais rígida das autoridades norte-coreanas em relação a infrações relacionadas ao entretenimento sul-coreano. Este clipe teria sido distribuído internamente para fins educacionais e como um alerta aos cidadãos para não consumirem “vídeos decadentes”.

O narrador do vídeo repete a propaganda estatal, enfatizando que a disseminação da cultura sul-coreana representa uma ameaça à ideologia norte-coreana. Os adolescentes são identificados pelos oficiais, e seus endereços são revelados, sinalizando uma abordagem mais intrusiva em relação a tais incidentes.

Anteriormente, menores que violavam a proibição de entretenimento sul-coreano eram enviados para campos de trabalho juvenil. No entanto, em 2020, Pyongyang promulgou uma lei que torna o ato de assistir ou distribuir esse tipo de entretenimento passível de pena de morte.

Desertores relatam execuções públicas, como a de um homem de 22 anos acusado de ouvir música sul-coreana e compartilhar filmes do Sul. A CEO da Sand, Choi Kyong-hui, destaca que Pyongyang percebe a popularidade de K-dramas e K-pop como uma ameaça à sua ideologia, que exige reverência à família Kim.

Os norte-coreanos começaram a ter contato com o entretenimento sul-coreano nos anos 2000, durante a “política de sol” do Sul, que oferecia ajuda ao Norte. Apesar do fim dessa política em 2010, o entretenimento sul-coreano continua a alcançar a Coreia do Norte, principalmente através da China. Desertores afirmam que, para o povo norte-coreano, os dramas sul-coreanos são uma “droga” que proporciona uma fuga temporária da difícil realidade. Autoridades norte-coreanas parecem estar preocupadas com o impacto dessas narrativas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco