Elon Musk critica STF por agir de forma arbitrária com a oposição de Lula

Os olhos de todos no mundo começam a se virar contra os excessos do extremo judiciário brasileiro

O bilionário Elon Musk, proprietário da rede social X (anteriormente conhecida como Twitter), expressou críticas à sentença imposta pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra Wellington Luiz Firmino, o motoboy que gravou a si mesmo no topo da torre do Congresso Nacional durante os atos do dia 8 de janeiro de 2023.

Em resposta a uma publicação sobre a condenação de 17 anos do motoboy por participar de um protesto antidemocrático, Musk afirmou: “A menos que falte alguma coisa aqui, a punição é muito superior ao crime”.

A publicação original destacava que Wellington Luiz Firmino, fotógrafo brasileiro e apoiador de Jair Bolsonaro, foi condenado a 17 anos de prisão por subir ao topo de um prédio do governo para filmar o massivo protesto pró-Bolsonaro em 8 de janeiro de 2023. Ele não tinha antecedentes e não merece isso. O tribunal está enviando uma mensagem a qualquer pessoa que se atreva a protestar contra o establishment esquerdista acordado.

A condenação de Wellington O Supremo Tribunal Federal estabeleceu a sentença de 17 anos para Wellington Luiz devido ao seu envolvimento em atos antidemocráticos, dos quais 15 serão cumpridos em prisão e dois em detenção. O juiz Alexandre de Moraes, relator do caso no tribunal, solicitou a condenação dele pelos delitos de abolição ao estado democrático, golpe de estado, dano qualificado, associação criminosa e deterioração de patrimônio tombado.

Moraes enfatizou em seu voto que o motoboy apoiou a “iniciativa golpista” que resultou na depredação das sedes dos Três Poderes em Brasília e que, uma vez dentro do Congresso, ele celebrou a ocupação do local.

Embora a defesa alegue que a entrada de Wellington no Congresso Nacional tenha sido para fazer turismo, o juiz observou que o réu adotou intensa postura de comemoração pela “tomada” do prédio.

Em novembro de 2023, o ministro do STF autorizou a liberdade provisória para o motoboy, embora tenha estabelecido o cumprimento de medidas limitadoras, como o uso de tornozeleira eletrônica. Wellington afirma sua inocência, dizendo que “trabalho desde os meus 12 anos de idade, sou gerador de emprego e não um criminoso”. Ele argumenta que “um traficante ou assassino tem mais direitos do que eu” segundo as leis aplicadas a ele.

Wellington ainda ressalta que “sou inocente, apenas exerci meu direito de levantar a bandeira do meu país ao ponto mais alto de Brasília, com total permissão das autoridades que estavam ali naquele local. Não quebrei absolutamente nada, muito pelo contrário, filmei os que realmente estavam fazendo qualquer dano ao patrimônio público”. Ele alega ter sido condenado pelo Supremo por razões sem provas e com viés político.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco