ENEM 2023 exaltou Paulo Freire e condenou capitalismo e agronegócio brasileiro

A prova foi considerada uma das mais ideológicas da história do exame

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2023, realizado no último domingo (05), foi considerado uma das provas mais ideológicas da história do exame. A prova contou com críticas ao capitalismo e até mesmo com uma exaltação a Paulo Freire.

A edição do ENEM deste ano é a primeira prova do terceiro mandato de Lula, e a inclinação ideológica extrema pode indicar o caminho que a educação brasileira seguirá.

Em uma das questões, o ENEM atacou diretamente o agronegócio brasileiro, condenando o que classificou como “cultura da soja” e estabelecendo uma correlação entre agronegócio e desmatamento.

Em outra questão, a prova apresentou trechos da obra do educador socialista Paulo Freire, defendendo a ideia de uma alfabetização associada a uma educação política de esquerda, o que pode influenciar na doutrinação ideológica de crianças e adolescentes.

Ainda no exame, a prova fez uma crítica ao sistema capitalista, classificando o sistema brasileiro como “capitalismo tardio” e apresentando um autor socialista da Escola de Frankfurt como uma alternativa viável ao modelo capitalista.

Na internet, críticos condenaram a condução do ENEM deste ano, mas nem o Governo Federal nem o Ministério da Educação responderam às críticas.

Confira as questões!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco