Entenda a guerra que o Texas está travando com o Governo Biden

A equipe do Farol Diario fez um compilado de eventos que culminaram na disputa de poder entre o Estado do Texas e seus 25 Estados apoiadores contra o Governo Federal

O presidente dos EUA, acusando o Texas de bloquear o acesso de agentes federais à fronteira com o México, busca recuperar o controle sobre a área. Em contrapartida, o governador Greg Abbott procura alterar a jurisdição que concede amplo controle à Casa Branca sobre questões de imigração.

A tensão cresceu em 10 de janeiro de 2023, quando a Guarda Nacional do Texas impediu a Patrulha de Fronteira de acessar o parque Shelby Park, em Eagle Pass, conforme revelado por Robert Danley, coordenador da Alfândega e Proteção de Fronteiras, em entrevista à CNN.

Tragédia em Shelby Park: 3 vidas perdidas por afogamento. O governo Biden alerta que o incidente destaca os esforços do Texas para exercer controle total na fronteira, bloqueando até o acesso da Patrulha de Fronteira em situações de emergência.

A Suprema Corte dos EUA decidiu, por 5 votos a 4 em 22 de janeiro, que funcionários federais deveriam retirar os arames farpados instalados pelo Estado na região. No entanto, o governador Abbott anunciou sua intenção de adicionar mais barreiras para fortalecer a fronteira, mesmo após a determinação judicial.

Relatos do Wall Street Journal em setembro destacaram a sobrecarga das autoridades locais devido à entrada ilegal de cerca de 10.000 migrantes em uma semana, levando o prefeito democrata Rolando Salinas Jr. a declarar estado de emergência.

Em um vídeo no ex-Twitter, Abbott compartilhou imagens da detenção de imigrantes pelas agências estaduais, elogiando a atuação da Guarda Nacional do Texas e do Departamento de Segurança Pública.

Na quinta-feira (25.jan), 25 governadores republicanos expressaram apoio a Abbott em uma carta aberta, mencionando o “direito constitucional de autodefesa do Estado” e criticando a “recusa” do presidente Biden em assumir a responsabilidade pela crise na fronteira.

Com o conflito institucionalizado, o Texas conta com o respaldo dos estados com cidadãos armados, como Alabama, Alasca, Dakota do Norte, Dakota do Sul, Idaho, Mississippi, Missouri, Montana, Oklahoma, Tennessee, Texas, Utah, Virgínia, Virgínia Ocidental e Wyoming.

Nas últimas horas, milhares de caminhoneiros americanos dirigem-se à fronteira sul em apoio ao Texas e outros estados envolvidos na ‘rebelião anti-Biden’, sendo previsto que o número de participantes possa atingir 1 milhão até segunda-feira (29), de acordo com a imprensa local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco