Janja politiza resgate de cavalo no RS e tenta encaixar pautas de gêneros

A primeira dama fez referência ao sexo do animal (que ela acreditava ser uma fêmea) para fazer uma alusão a sua resistência, mas o animal é um macho

Janja Lula da Silva, esposa do presidente Lula, causou um alvoroço nas redes sociais ao comemorar o resgate de um cavalo no Rio Grande do Sul, que inicialmente foi identificado como uma égua. Em um vídeo emotivo, Janja expressou sua alegria pelo salvamento do animal, apelidado de “Caramelo”, e alegou ter mobilizado esforços, incluindo a suposta comunicação com um general, para garantir sua recuperação. No entanto, a informação inicial foi corrigida pelos bombeiros, que afirmaram que o cavalo era macho após um exame veterinário.

Enquanto o equívoco de Janja Lula da Silva gerava debate sobre sua politização do resgate e sua aparente falta de conhecimento sobre o animal, páginas de esquerda até fizeram uma charge em que aparecia a frase “lute como uma garota”.

O episódio alimentou discussões sobre a politização de eventos públicos e a necessidade de manter o foco em questões mais urgentes, como as graves inundações que assolavam a região, resultando em 107 mortos e 136 desaparecidos até o momento do resgate do animal. Enquanto a região enfrentava uma crise humanitária, o enfoque de Janja no resgate do cavalo gerou críticas e reflexões sobre as prioridades em momentos de crise.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco