Mulher que levou defunto a agência bancária já recebeu R$ 30 mil do governo

Inscrita no Bolsa Família desde 2013, já acumula mais de 10 anos vivendo às custas desses e outros benefícios, além de pensão alimentícia do ex-marido

Érika de Souza Vieira Nunes, uma mulher de 42 anos, foi presa após tentar usar um cadáver para obter empréstimos em uma agência bancária. Além deste ato, Érika acumulou um histórico de receber significativos benefícios do governo federal, totalizando cerca de R$ 30 mil através de programas como Bolsa Família e Auxílio Emergencial.

Inscrita no Bolsa Família em 2013, ela recebeu pagamentos até janeiro de 2021, quando foi desqualificada por não atender às exigências do programa, somando um total de R$ 22,1 mil. Durante a pandemia de Covid-19 em 2020, ela também recebeu R$ 7,5 mil em nove parcelas do Auxílio Emergencial.

Ao longo dos anos, Érika envolveu-se em outras disputas legais, incluindo a solicitação de prisão do pai de seu filho por atraso no pagamento de pensão alimentícia em 2009 e processos por danos morais contra grandes empresas, com resultados variados. Essas ações destacam um padrão de comportamento controverso que culminou com sua recente prisão por suspeita de estelionato e fraude.

As informações são do Metrópoles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco