Soldados espanhóis mudam de gênero para obter benefícios destinados às mulheres

Após governo aprovar medidas que beneficiam às mulheres em detrimento dos homens, eles fazem uso da lei de autoidentificação para trocar seu gênero

A fim de tornar as carreiras nas forças militares e de segurança mais atrativas para as mulheres, uma investigação revelou que soldados e policiais espanhóis estão optando por mudar de gênero para acessar benefícios destinados a esse grupo específico.

A lei de autoidentificação, introduzida simultaneamente ao aumento dos benefícios, simplificou o processo de transição formal para aqueles que desejam mudar de gênero. Desde então, 41 homens se registraram como mulheres em Ceuta, região espanhola no Norte da África, com a maioria deles pertencendo às forças armadas ou à polícia.

Um exemplo citado é o de Roberto Perdigones, cabo do exército, que se identificou como mulher para usufruir de vantagens financeiras e de moradia superiores. Ele mencionou que a “discriminação positiva” foi um estímulo para essa mudança, visto que, ao se tornar mulher, obteve um aumento na pensão e um adicional salarial de 15% por ser considerado mãe.

Além disso, Perdigones planeja buscar a custódia compartilhada de seu filho, acreditando que seu novo status de gênero pode favorecê-lo nos tribunais. A mudança legal de gênero também lhe proporcionou privilégios, como um quarto privativo com banheiro exclusivo no quartel, devido à sua identidade feminina.

A legislação espanhola sobre transgêneros permite que qualquer pessoa solicite formalmente a mudança de gênero em seus documentos de identidade, sem a necessidade de relatórios psicológicos ou médicos. Esta medida visa aumentar a representatividade das mulheres nas forças de segurança, uma meta do governo espanhol que tem gerado controvérsia e debate político.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

notícias relacionadas

categorias

REDES SOCIAS

fale conosco